Escolha sua rádio favorita
Rádio on-line!
Operário de Mafra tem vestiário furtado durante jogo da Série B do Catarinense
Policial | 20/07/2018 07:02 | NSC AN | Fotos: NSC AN

Clube enfrentou o Fluminense, na Arena Joinville, na noite de quarta-feira. Equipe já registrou boletim de ocorrência e responsabiliza o Flu e administração do estádio pelo ocorrido. 

Um caso incomum aconteceu na noite desta quarta-feira, durante a partida entre Fluminense, de Joinville, e Operário de Mafra, pela terceira rodada do returno do Campeonato Catarinense da Série B. Após ser derrotado na Arena Joinville por 2 a 1, a equipe de Mafra voltou ao vestiário e percebeu que vários pertences de jogadores e dirigentes tinha sido furtados. 

Em entrevista à reportagem de \"A Notícia\", o técnico do Operário, Edmar Heiler, relatou que celulares e tênis foram furtados. Ele não soube precisar a quantidade, mas informou que todas as bolsas dos atletas foram abertas. Segundo Edmar, sobrou, em tese, só os tênis de menor valor e celulares bloqueados.

— Fizemos um boletim de ocorrência, mas o que me chama a atenção é a quantidade de erros que foram cometidos. Ficamos muito assustados. Poderia ter alguém armado ali? E aí, como seria? — indagou Edmar. 

O treinador ainda culpou o Fluminense, a polícia militar e a administração da Arena Joinville pelo ocorrido. 

— Não entendo como nenhum policial ou segurança viu isso. É uma falta de responsabilidade enorme de quem realiza o jogo e administra o estádio — completou. 

A reportagem procurou o presidente do Fluminense, Anelísio Machado, que admitiu o fato e disse que também procura respostas para o caso incomum. 

—Infelizmente, isso aconteceu. Estamos procurando respostas também, mas ficamos muito tristes porque temos uma boa imagem e nunca imaginávamos que algo assim poderia acontecer. Os portões dos fundos da Arena estavam fechados, os muros são altos, há câmeras ali. Estamos em busca das imagens para entender o que houve — explicou. 

A administração do estádio é feita pela Secretaria de Esportes de Joinville (Sesporte). O secretário da Esporte, Amarildo João, soube pouco antes do contato da reportagem. Ele informou que está em contato com a segurança terceirizada do estádio para encontrar as imagens e os responsáveis pelo furto. 

O Procurador Jurídico da Federação Catarinense de Futebol (FCF), Rodrigo Capella, não tinha informações sobre o assunto, mas confirmou que o caso pode parar no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-SC) e render punições ao Fluminense por não oferecer segurança para a realização da partida. Não há nenhum registro do caso na súmula da partida. 

O capitão Daniel Screpanti, do 8º Batalhão da Polícia Militar (que esteve no jogo), afirmou que a PM só zela pela segurança de atletas, treinadores, árbitros e torcedores. Segundo ele, a PM não tem nenhuma responsabilidade sobre os pertences das equipes que ficam nos vestiários. Para Screpanti, este cuidado deve ser feito pela administração do estádio.

 
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 
Publicidade
Rua José Gonçalves, 333 - Lucena - Itaiópolis - Santa Catarina - 89340-000 - 89340-000 - Fone/Fax: 3652.2279 - E-mail: comercial@cidade1380.am.br
Rádio 107.9 FM, Todos os Direitos Reservados.